Concha y Toro

Ania Smolec 07/01/2016

Como conservar uma garrafa de vinho aberta?

Compartil

O que fazer com o resto do vinho uma vez que a garrafa foi aberta? Todos nós, os amantes do vinho, enfrentamos este dilema, especialmente nós que acreditamos que umas duas tacinhas por dia fazem bem para nossa saúde. A seguir apresentamos um guia para conservar da melhor forma possível um vinho uma vez que tenha sido aberto.

Uma garrafa clássica de 750 ml pode servir de seis a doze taças de vinho, e por tanto se você está comemorando com um grupo de amigos ou com a família, provavelmente não se interessa em continuar lendo este artigo. Mas o normal para os amantes do vinho, que tomam uma ou duas taças por dia, ou abrem uma garrafa para experimentar como funciona com um determina queijo, enfrentam periodicamente este dilema: o que fazer com o vinho uma vez aberto?

Por que um vinho aberto perde suas qualidades?

Seria maravilhoso se um vinho não sofresse alterações de sabor uma vez aberto, e pudesse ser conservado intacto durante dias na geladeira. Mas o vinho, assim como todos nós, está submetido às leis da biologia, química e física. Com o decorrer do tempo, inevitavelmente ele se transformará em vinagre. Este fenômeno ocorre porque as bactérias do ácido acético consomem o álcool e o metabolizam no ácido acético e acetaldeído. Quanto mais ar houver, mais estas bactérias trabalharão. Isto provoca que o nosso vinho fique com um cheiro de vinagre muito forte e, inclusive, um sabor picante, como uma maçã que mordemos e depois deixamos de lado.

Para evitar este fenômeno (ou pelo menos adiá-lo) temos que proteger o vinho e guardá-lo em condições especiais. Primeiro, devemos abrir a porta da geladeira. As bactérias trabalham muito mais lentamente em temperaturas baixas. Em segundo lugar, a garrafa deve estar devidamente fechada.

Tampa ou rolha?

Caso vocês fechem o vinho com a rolha original, não se esqueçam de empurrar bem para baixo do gargalo. Desta forma diminuímos o acesso do ar. Geralmente os vinhos fechados com tampa de rosca são mais fáceis de guardar por vários dias, pois esta tecnologia reduz quase a zero o intercâmbio de oxigênio com o exterior. Você pode inclusive voltar a tampar o vinho e guardar na geladeira por até duas semanas. Assim podemos conservar todo o frescor e o sabor do vinho.

Existe algum tipo de vinho que dure mais?

Cada estilo de vinho possui um tempo diferente de consumo uma vez aberto. Geralmente três a cinco dias é um período seguro, lembrando sempre que devemos deixar a garrafa bem fechada e em temperatura baixa.

espumante mandamientos

Os estilos de vinhos mais sensíveis, e que não convém serem guardados por mais de três dias, são os de safras muito antigas (são vinhos mais delicados e frágeis), Pinot Noir (é uma das cepas mais sensíveis do mundo) e os vinhos naturais (aqueles que não estão tratados com este gás inerte, chamado sulfuroso, que protege o vinho da oxidação).

Com os vinhos espumantes, como o nosso Casillero del Diablo Devil’s Collection Brut, devemos ter um cuidado especial. Uma vez aberta a garrafa, as borbulhas escapam. Inevitavelmente após um ou dois dias ele se transformará em um vinho tranquilo. Neste caso recomendo comprar um stopper (tipo de tampa especialmente feita para garrafas de espumante) em alguma loja especializada. Esta ferramenta conserva as borbulhas por muito mais tempo.

Os outros vinhos que perdem seus atributos com maior rapidez são os vinhos com muito mais corpo e baixos em acidez natural. Estes normalmente podem ser guardados por quatro dias na geladeira. A acidez é muito importante para os vinhos porque é sinônimo de vida. Por exemplo, o Casillero del Diablo Reserva Privada Cabernet Sauvignon ou o Trio Cabernet Sauvignon podem ser mantidos em boas condições durante cinco dias.

Se você gosta de vinhos brancos ou tintos complexos, recomendo comprar uma ferramenta chamada vacum cap. É uma tampa que permite retirar o excesso de ar da garrafa. Se a operação é feita corretamente, nossos vinhos favoritos podem ser conservados durante semanas.

Os vinhos brancos ou rosados, como o Trio Sauvignon Blanc ou o Casillero del Diablo Shiraz Rosé, podem ser mantidos de forma impecável por até sete dias. Os vinhos de corpo leve se oxidam pouco depois de serem abertos. Isso não é um defeito. O sabor muda levemente, mas não se traduz em algo negativo. Ao contrário! Por exemplo, um vinho mineral como o Casillero del Diablo Sauvignon Blanc evoluirá e mostrará uma personalidade muito interessante depois de dois ou três dias.

E se você esquecer uma garrafa aberta?

Um jornalista especializado tem que provar vários vinhos, e por razões óbvias é impossível consumir toda a garrafa. A solução é organizar uma reunião com os amigos ou, se tivermos muito trabalho e não estamos a fim de festa, as garrafas devem ir diretamente para a geladeira. É incrível como o vinho tem um sabor diferente no dia seguinte. O vinho se abre, e muitas vezes para algo mais aromático, intenso e saboroso.

Na minha casa nunca jogamos vinho fora. Se já não está apto para beber, utilizamos o mesmo na cozinha. Mas, o que acontece com o álcool? Quando fazemos um ensopado, após alguns minutos cozinhando, o álcool se evapora. Quanto mais tempo o prato for cozido, menos o álcool permanece, mas fica o sabor da fruta e, acima de tudo, sua deliciosa acidez. Se o vinho está um pouco passado, não se preocupem. É muito bem-vindo! Serve para substituir o suco de limão ou vinagre em uma receita.

Hoje quero apresentar a vocês uma receita muito fácil e que, além disso, é um clássico da cozinha francesa: coq au vin. Vocês podem preparar este prato em menos de uma hora enquanto desfrutam o aperitivo. Esta preparação tem duas versões: com um vinho tinto tipo Borgonha ou com um vinho branco estilo da Alsácia. Quero apresentar um frango ao molho branco, delicioso e cremoso, perfeito para servir com um vinho refrescante como o Casillero del Diablo Chardonnay.

 Coq au Vin

Ingredientes (4 pessoas)

Coq au vin blanc

  • 4 pés inteiros de frango
  • 200 g de champignon de Paris
  • 100 g de manteiga
  • 250 ml de creme de leite
  • 2 colheres de sopa de farinha
  • 4 chalotas picadas
  • 250 ml de vinho branco
  • 1 colherinha de tomilho seco
  • Azeite
  • Sal, pimenta
  • 1 hoja de louro

Preparação

  1. Lavar o frango, salpicar com sal, pimenta e farinha.
  2. Em uma frigideira esquente o azeite e a metade da manteiga. Refogue os pedaços de frango por ambos os lados, até que estejam dourados. Retire da frigideira.
  3. Na mesma frigideira esquente o resto da manteiga e refogue as chalotas. Acrescente o champignon e deixe refogando até ficarem com uma textura suave. Acrescente a folha de louro, o tomilho, o creme de leite e cozinhe alguns minutos mais.
  4. Tempere com sal e pimenta.
  5. Sirva com batatas, tipo duquesas por exemplo.