Concha y Toro

Sarah Gordon 04/03/2020

Tudo sobre vinho

Como o Oceano Pacífico cria o vinho Amelia

Compartil

O Chile é um país que foi esculpido pelas ondas que rompem provenientes do Oceano Pacífico, uma nação que se define por seus 4000 quilômetros de costa. 

O poder das ondas do Pacífico não apenas deu forma ao Chile, mas também contribuiu para criar vinhos surpreendentes e premiados que cativaram o mundo com seu frescor e suas notas frutadas. 

Alguns amantes do vinho podem associar o vinho chileno com seus ricos Cabernet Sauvignons e Merlots, cultivados no ensolarado Vale Central, porém já desde muito tempo os especialistas em vinho vêm afirmando que as regiões vitivinícolas da costa estão produzindo notáveis safras de Pinot Noir e Chardonnay -algumas das de maior pontuação nestas variedades- e agora, inclusive, estão preparando o palco para o premiado Syrah.

O vinho Amelia é cultivado integralmente nas regiões vitivinícolas costeiras de maior prestígio do Chile, criando exemplares que constantemente recebem as mais elevadas premiações, graças a seus perfis de sabores vibrantes. 

post-3-6
Vinhedo Quebrada Seca (Vale de Limarí). Ph: Marcelo Papa

Quente ou frio?

Geralmente quando pensamos em regiões vitivinícolas as imaginamos banhadas por um sol interminável, caracterizadas por seus dias quentes e parreiras carregadas de uvas. Isto é certo, especialmente no famoso Vale Central do Chile, onde as temperaturas médias diurnas são umas das mais altas das regiões vitivinícolas do país, o que torna a zona ideal para as uvas de vinho tinto, amantes do sol. Encontrará Carmenere, Cabernet Sauvignon e Merlot de alta qualidade procedentes destas regiões.

Mas a costa do Pacífico do Chile oferece uma região vitivinícola totalmente diferente, de manhãs frias e com névoa, de vinhedos que prometem um atrativo brilhante e fresco. Estas regiões costeiras apresentam um efeito moderador da temperatura, com a influência refrescante do Oceano Pacífico que origina temperaturas mais baixas e, portanto, um menor conteúdo de açúcar. Estas condições são ideais paras os vinhos brancos especialmente valorizados por suas propriedades mais ácidas, mas que também podem proporcionar um grande lar para os vinhos tintos não tão pesados como seus primos do interior do país. Existem algumas variedades brilhantes de Pinot Noir cultivadas no Vale do Limarí no Chile e o Chardonnay pode florescer tanto em clima cálido como fresco, adquirindo um perfil de sabor completamente diferente quando cultivado na costa. 

post-2-8
Chardonnay (Quebrada Seca, Vale del Limarí). Ph: Marcelo Papa

Vinhos frescos da costa no Chile

Se gostam de um vinho nítido, leve e seco, então os vinhos cultivados em temperaturas mais baixas provavelmente entreguem as notas adequadas para suas papilas gustativas. A costa do Chile se beneficia da corrente de Humboldt, que faz com que o ar fresco circule na direção norte. À medida que estas correntes banham a costa, bancos de névoa cobrem as parreiras, talvez se dissipando na metade da manhã, exatamente o tempo suficiente para manter as uvas um pouco mais frescas e para que assim madurem lentamente. Esta corrente se estende desde o sul do Chile até o norte do Peru e traz consigo temperaturas significativamente mais baixas para uma região que, do contrário, seria calorosa.

No Chile, as pessoas usam como referência a famosa Cordilheira dos Andes que forma a coluna vertebral do país. Mas o Chile também tem a cordilheira da costa, que age como uma barreira, evitando que a neblina mais fria e as nuvens se desloquem em direção ao Vale Central. Não é apenas um benefício para as uvas tintas que prosperam no calor, também é ideal para as uvas de vinho branco da costa e o Pinot Noir, uma vez que ajuda que o clima fresco se mantenha sobre os vinhedos. Estas longas estações frescas são perfeitas para que as uvas retenham esse toque de acidez, dando ao vinho uma vibração especial.

Com a proximidade do Oceano Pacífico, o Vale do Limarí é conhecido por vinhos como o Amelia Chardonnay 2018, escolhido como o melhor vinho branco e o melhor Chardonnay do Chile. Protegidas do sol da manhã pelas nuvens que cobrem o vinhedo de Quebrada Seca (a apenas 22 km do oceano), estas uvas maduram lentamente. Isto permite um final fresco e uma produção de vinho altamente controlável e estável. Os vinhos do Vale do Limarí se caracterizam pelo predomínio de notas cítricas e de pera, enquanto outras regiões vitivinícolas do Chile, como o Vale de Casablanca, são conhecidas por suas notas de damasco, maçã e manga.

post-1-6

Esta região também produz o Amelia Pinot Noir, um tinto de 96 pontos com notas de cereja que se combinam com uma grande estrutura e um final longo e fresco. A combinação do solo de argila vermelha e carbonato de cálcio com as condições de nebulosidade e frescor resultam em um Pinot Noir cheio de sabor frutado. Diferentemente das variedades tintas cultivadas no cálido Vale Central, este tinto mantém um firme frescor suave. 

Os vinhos que se cultivam aqui também oferecem um benefício adicional. As sessões de degustação sob o caloroso sol podem ser extenuantes, mas provar um Amelia Chardonnay ou Pinot Noir com uma brisa maravilhosamente refrescante, agrega pontos extra à experiência de beber os melhores vinhos do Chile, diretamente desde sua origem.