Concha y Toro

Concha y Toro 11/09/2015

De onde vêm os diferentes aromas do vinho?

Compartil

Ao degustar um vinho é muito importante poder apreciar os aromas que se deseprendem do mesmo na taça.

É através destas notas aromáticas que podemos obter informações sobre a cepa, influências do vale de onde vêm, método de vinificação, se é jovem ou se passou muitos anos na garrafa. As notas frutais e florais são aquelas que podem ser percebidas em um primeiro momento, mas também aromas de borracha, chocolate, café, entre outros. A pergunta que surge é: De onde vêm estes aromas e do que dependem?

aromas del vinoAs uvas produzem componentes aromáticos em todas as suas etapas de crescimento e maduração. O mesmo acontece no processo de vinificação, inclusive na passagem pelo barril e na guarda na garrafa. Os aromas do vinho podem ser classificados em três categorias, dependendo da etapa em que foram sintetizadas.

A primeira é a de aromas primários, muito relacionada com o terroir. Cada cepa possui aromas que a caracterizam e que são próprios da variedade. O clima, a região de cultivo e a composição do solo influem, dando um selo particular ao fruto ou ao mosto. Nesta categoria predominam os aromas florais, frutais, vegetais e minerais especialmente.

Da fermentação alcoólica vêm os aromas secundários que dependem do tipo de levadura e das condições que permitem a fermentação. Destacam-se as notas de caramelo, a levadura ou pão torrado. Os aromas lácteos como de manteiga ou queijo são os que vêm especificamente da fermentação malolática.

Por último, os aromas terciários ou “bouquet” são aqueles obtidos na pós-fermentação. No processo de guarda no barril e amadurecimento na garrafa, o vinho desenvolve seu último nivel aromático. Nesta etapa os aromas são mais complexos, entre os que pode-se encontrar aromas de madeira ou lenha; frutas secas como nozes ou amêndoas; diversos aromas frutais e florais, notas de baunilha, chocolate, mel, couro, defumado, tabaco ou café.