O que faz com que o Carmín de Peumo seja um Carménère chileno de grande destaque?

access_time 2020 · 06 · 01

Ele é constantemente eleito um dos melhores Carménère do mundo e chegou inclusive a definir esta uva misteriosa.

O Carmín de Peumo é o vinho que melhor representa o Carménère do Chile, e é cultivado em lotes especiais no renomado terroir de Peumo, conhecido por produzir as melhores safras desta variedade de uva francesa.

Acreditava-se que a uva Carménère, considerada uma das seis uvas tintas originais de Bordeaux, tinha se extinguido por quase 150 anos após a filoxera arrasar com os vinhedos de toda a Europa. Durante este tempo, os vinicultores chilenos conservaram o Carménère sem saber, confundindo-o com o Merlot. Este vinho foi conservado em segredo durante mais de um século, e após um especialista em vinhos descobrir em 1994 este tesouro escondido, o Carménère teve um enorme regresso como um dos vinhos tintos chilenos preferidos.

O Carmín de Peumo Carménère é uma grande referência da excepcional viagem do vinho tinto chileno Carménère. Os elementos que entram em cada garrafa, desde o solo e o clima de Peumo até o próprio trabalho do enólogo, cada um tem um papel crucial no produto final, um vinho com profundidade e elegância, engrandecido por taninos maduros e suaves.

Recebendo prêmios e obtendo constantemente notáveis pontuações –que variam entre 93 e 97 pontos– dos principais especialistas do mundo inteiro, o Carmín de Peumo Carménère é a soma de suas partes extraordinárias.

Condições idílicas

O Vinhedo Peumo vem cultivando Carménère do Chile há mais de 100 anos, tendo se tornado um dos terroirs mais famosos do mundo para o vinho tinto Carménère. Situado em desníveis nas colinas da cordilheira da Costa, no litoral chileno, este vinhedo está a 170 metros de altitude.  

Sua localização distintiva oferece dias quentes e noites frescas que permitem o equilíbrio perfeito para o cultivo desta uva especial, garantindo que os frutos amadureçam lentamente. Situado em um vale estreito, ele está protegido das condições mais hostis, mas recebe os ventos frescos do rio Cachapoal para criar um microclima que protege a fruta elegante das temperaturas geladas.

O solo argiloso-limoso retém a água, o que garante que este vinhedo nunca deixe de recebê-la, inclusive se a precipitação anual for inferior à média, e controla o crescimento das parreiras.

Proveniente de um vinhedo apreciado, entre os mais antigos da Concha y Toro e com parreiras de mais de 30 anos de idade, este vinho premiado tem conquistado seu lugar como um Carménère chileno de grande destaque e um Carménère que define a variedade no mundo inteiro.

O homem por trás do rótulo

O processo de elaboração do Carmín de Peumo, guiado pelo enólogo especialista Marcio Ramírez, é vital para a qualidade de cada safra. O enólogo, que vem contribuindo para este vinho excepcional com sua experiência de mais de 20 anos na Concha y Toro, tem dado há muito tempo uma atenção especial à uva Carménère. Marcio trabalha para que cada garrafa seja uma expressão fiel das características especiais desta variedade e do vinhedo de Peumo, para criar uma combinação verdadeiramente única.

Um esforço de nível mundial

Com parreiras plantadas pela primeira vez em 1987 e tendo o vinhedo de Peumo cuidadosamente dividido em lotes, para aumentar a precisão na elaboração deste vinho excepcional, o Carmín de Peumo Carménère é um trabalho de dedicação. 

As uvas, além de serem colhidas manualmente durante o mês de maio, são misturadas com 3,5% de Cabernet Sauvignon e 1,5% de Cabernet Franc, para dar mais estrutura a este delicioso vinho.

Ele passa, ainda, por uma etapa de maturação durante 14 meses em barris de carvalho francês, que confere ao vinho complexidade e um sabor profundo e concentrado com um final prolongado, equilibrado pela mineralidade distintiva do terroir de Peumo.

Premiado por sua excelência

Considerado durante muito tempo o vinho ícone do Chile, o Carmín de Peumo tem impressionado especialistas do mundo todo. Foi elogiado por sua “profundidade embriagadora” pela revista Wine & Spirits e foi descrito e considerado pela Wine Spectator como referência do que é possível obter com a uva Carménère. Ele também aparece constantemente entre os melhores vinhos do mundo, sendo que a The Wine Advocate de Robert Parker conferiu ao Carmín de Peumo 2018 impressionantes 94 pontos, enquanto Tim Atkin conferiu 96 pontos à safra 2017 e o guia Descorchados deu o reconhecimento de 95 pontos à mesma safra. 

Tanto se você estiver guardando o seu Carmín de Peumo para envelhecer um pouco mais quanto se você quiser saboreá-lo agora, o melhor é harmonizá-lo com carnes vermelhas, como o raro rosbife, terneiro ou lombo de porco, ou com queijos como o de cabra maturado.

Seja qual for a forma em que você vai desfrutar do seu Carmín de Peumo, reserve um momento para apreciar este ícone do Chile, um vinho que deu nova vida a esta variedade de uva, em outro tempo extinta, e que representa a melhor qualidade da viticultura chilena para o mundo.  

Compartilhar

É maior de idade?

Sentimos muito,

Você não pode acessar o conteúdo do site se você não for maior de idade.