Concha y Toro

Concha y Toro 24/09/2015

Compartil

Os espumantes e seus métodos de elaboração

Cada dia são mais numerosos os consumidores que preferem os vinhos espumantes. Mas, como são produzidos? Convidamos você a conhecer as respostas.

Cada dia são mais numerosos os consumidores que preferem os vinhos espumantes. Uma tendência global que continua crescendo. Mas, como são produzidos? Quais são as variedades usadas em sua elaboração? Convidamos você a conhecer as respostas.

Subercaseaux

As cepas mais utilizadas para produzir espumantes são o Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier. Estes vinhos se caracterizam por possuir gas dissolvido, vindo de uma segunda fermentação dentro de um envase que não permita a liberação de CO2.

Dos métodos de produção de espumantes, dois são os mais utilizados, tanto no mercado nacional como internacional.

O método conocido como Tradicional, ou o Champenoise, original da região de Champagne, França, é elaborado a partir de um mosto produzido por uma prensagem suave nos mesmos cachos da uva, as levaduras fermentam este suco, dando origem a um vinho seco, sem passo por madeira.

A este vinho base são acrescentadas levaduras e açúcar, para em seguida ser engarrafado e armazenado horizontalmente em uma adega fria.

Depois disso dá-se início a uma segunda fermentação na garrafa, que terá como um dos seus principais produtos o CO2.

Após um tempo, as garrafas são inclinadas de cabeça para baixo durante um período de tempo para que os sedimentos das levaduras mortas possam se acumular no gargalo.

Casillero del Diablo Brut Reserva

O processo de extração destes é conhecido como “Degüelle”. Em seguida, a garrafa é completada com o mesmo vinho base e uma quantidade determinada de açúcar, segundo sua classificação. Finalmente, a rolha e o arame são colocados.

Dentro do portfolio da Concha y Toro destacamos o espumante Subercaseaux Grande Cuvée elaborado sob este método, e que se caracteriza por ser elegante, complexo, com borbolhas finas e persistentes.

Outro dos métodos de elaboração de vinhos espumantes é o conhecido como Charmat, onde a segunda fermentação é realizada em grandes tanques selados.

Nesta categoria estão os espumantes Subercaseaux Extra Brut, um espumante fresco, frutal e leve; e também o  Casillero del Diablo Brut Reserva, com características frescas e minerais.

Marcelo Papa, Enólogo Chefe da linha Subercaseaux, é um convencido de que os consumidores estão cada vez mais preparados para reconhecer diferentes ocasiões de consumo.

“Acredito que é importante internalizar que os métodos de elaboração de espumantes entregam vinhos diferentes, para diferentes ocasiões de consumo. O espumante feito de acordo com o  método tradicional naturalmente possui uma maior complexidade.

Por sua mesma forma de elaboração, sua expressão vai mais pelo lado das notas de pão e levadura, perfeito para acompanhar refeições. Já o Charmat se caracteriza por maior frescor e frutosidade, o que acaba sendo ideal para beber a qualquer hora; excelente como aperitivo e para um tira-gosto”, afirma.