Concha y Toro

Ania Smolec 09/06/2017

Tudo sobre rolhas

Caso tenham dúvidas sobre qual rolha é a melhor, hoje queremos contar a vocês sobre os tipos, usos e características de cada uma.

Compartil

Nunca jogo fora as rolhas porque cada uma me traz lembranças de um vinho e de um momento compartilhado com minha família. Minha coleção possui rolhas de sobreiro, mas também diferentes tipos de tampas ou rolhas artificiais. Caso tenham dúvidas sobre qual rolha é a melhor, hoje quero contar a vocês sobre os tipos, usos e características de cada uma.

A rolha de cortiça natural possui vários usos, mas sem dúvida é o mundo do vinho seu maior consumidor. Seu objetivo principal é preservar o vinho no armazenamento a longo prazo. Porém nem todas as rolhas são iguais. As rolhas de cortiça natural, as mais populares e conhecidas, têm sido utilizadas durante séculos devido à elasticidade de sua estrutura celular.

A cortiça é maleável até certo ponto, com a capacidade de contrair-se e expandir-se, criando uma vedação quase hermética em uma garrafa de vinho. Na realidade, é quase hermética porque um pouco de ar é capaz de passar através dela, uma vez que microscopicamente existem orifícios dentro de sua estrutura. Isto pode ser benéfico ou prejudicial, dependendo do tipo de vinho que está sendo armazenado. Alguns vinhos envelhecem melhor com a exposição ao ar durante certos períodos de tempo, enquanto que outros são mantidos muito melhor na ausência de ar durante o armazenamento.

Botellas livianas

Tanto o tipo como o tamanho da rolha, são determinados pelo tipo de vinho, a quantidade de pressão contida e o diâmetro do gargalo da garrafa. Atualmente, existe uma ampla variedade de rolhas e tampas para preservar o vinho.

Alguns fabricantes de vinhos, especialmente aqueles produzidos em larga escala, estão utilizando screw caps no lugar de rolhas. Embora o tipo de rolha (ou a falta dela) de alguma forma afeta o sabor do vinho com o passar do tempo, bem como nossa percepção do sabor, também é crítico na proteção dos vinhos à medida que envelhecem.

Alguns tipos de rolhas de vinho são mais confiáveis que outros. Vejamos quais são os principais tipos:

A rolha de cortiça natural

Você sabia que Portugal é o maior produtor de rolhas de cortiça natural, concentrando 50% do mercado? Espanha ocupa o segundo lugar com 30%. A “rolha natural” é um termo que engloba diferentes graus e estilos de cortiça de um tipo de carvalho chamado sobreiro, proveniente das regiões mediterrânicas. Estas rolhas são 100% naturais, e podem ser de uma peça só cortadas de uma folha de cortiça, ou de várias peças, onde ao menos duas peças de cortiça são unidas, ou aglomerada, onde os pequenos orifícios dentro de uma rolha de cortiça natural são preenchidos com pó de cortiça e cola.

Corcho natural

As rolhas de cortiça natural inteiriças, de uma peça só, são ideias para o envelhecimento do vinho a longo prazo. De forma muito natural, se expandem e permanecem fortes durante longos períodos de tempo. Quando é retirada de uma garrafa de vinho, uma rolha de cortiça natural inteiriça sofrerá uma expansão de 85% de seu tamanho original quase instantaneamente, enquanto recupera o restante de sua forma original dentro das 24 horas seguintes.

A rolha aglomerada

As rolhas aglomeradas são compostas por pequenos pedaços de rolha natural e/ou sintética. São mais baratas porque são produzidas com os resíduos naturais da casca da cortiça, pó de cortiça e cola.

corcho sintético

As rolhas aglomeradas funcionam bem com vinhos que não necessitam ser envelhecidos por longos períodos, esses que são consumidos em não mais de dois anos desde sua colheita.

A rolha sintética

As rolhas sintéticas somente começaram a ser utilizadas em grande escala dentro da indústria do vinho durante as últimas três décadas. São habitualmente feitas de plástico à base de petróleo, enquanto que certos fabricantes de rolha sintética também estão testando a utilização de polímeros à base de milho e cana-de-açúcar.

corcho espumoso

As rolhas sintéticas podem ser vantajosas para os fabricantes de vinhos que buscam atingir um grau científico de transferência de oxigênio. Estes materiais podem ser elaborados com várias densidades e de diversas substâncias. Com o tempo, parece que existem mais aspectos positivos que negativos. Devido a que o material utilizado na fabricação da rolha sintética não é natural, os vinhos nunca estarão sob o risco de danificação da rolha.

Inclusive para o consumidor possui alguma vantagem no armazenamento em casa, uma vez que a garrafa pode ser guardada de pé, já que não requer a umidade do vinho para manter a integridade da rolha. É uma vedação hermética e antibacteriana.

A rolha para o vinho espumante

A todos nos fascina o som de celebração de uma rolha que se despede de uma garrafa de vinho espumante, porém com toda essa pressão é necessária uma tampa mais resistente.

Uma garrafa em média possui mais de um milhão de bolhas e mais a pressão do ar, portanto, as tampas de vinhos espumantes são produzidas sempre de cortiça de alta qualidade comprimida e possuem um desenho aerodinâmico que à primeira vista parece um pequeno champignon.

Vino-Lok

É uma das mais esquisitas formas de tampar uma garrafa de vinho e a mais técnica de todas.

www.vinolok.cz
www.vinolok.cz

Esta tampa é feita geralmente com plástico ou vidro e utiliza-se como uma vedação hermética para evitar que o oxigênio e as bactérias afetem o vinho. É uma tampa de alto custo e é utilizada para vinhos refinados.

Zork

É um tipo de vedação que combina “rolha” com uma tampa de rosca. A tampa é girada, porém, ao ser retirada produz o mesmo som que associamos com uma rolha.

zorkclosures.com
zorkclosures.com

É uma forma moderna e ainda pouco popular de tampar os vinhos, mas que combina muito bem a comodidade e a experiência sensorial do ritual do vinho.