Vinhos tintos e comida vegetariana, é possível?

access_time 2020 · 09 · 16

Existe um universo inteiro que vai além das fórmulas tradicionais de harmonização de carne e vinho. Se você é vegetariano, provavelmente já se perguntou se pode tomar mais alguma coisa com seus pratos que não seja vinho branco. E a resposta é… Claro que sim! É verdade que a escolha pode ser desafiadora, mas não se preocupe pois aqui ajudamos você a escolher o melhor tinto para os seus vegetais.

Quando você estiver procurando um vinho e estiver em dúvida, os vinhos tintos leves como o Marqués de Casa Concha Edición Limitada Pinot Noir 2018 são um coringa porque harmonizam bem com quase todos os pratos. Mas já que mencionamos esta cepa, é impossível não falar dos cogumelos. Seja qual for o prato, incluindo o risoto, os cogumelos e suas notas terrosas adoram o Pinot Noir. Esta variedade delicada também é uma excelente companhia para aqueles vegetais de sabores adocicados como o camote, a abóbora-manteiga e a castanha-portuguesa, principalmente quando assados no forno.

risotto

Para todas as receitas com molho de tomate, berinjela e pimentões, sejam elas pratos como pizzas, shakshuka ou ratatouille, escolha um vinho tinto com um pouco mais de corpo e com boa acidez como o Terrunyo Carmenere 2018. Esta cepa tem aromas herbáceos que combinam perfeitamente com os pimentões e uma acidez capaz de contrabalançar a acidez dos tomates.

ratatouille

Quando se tratar de pratos generosos preparados na panela, como os guisados de leguminosas e legumes como cebola, cenoura e aipo, prove com um Malbec argentino como o Terrunyo Malbec 2016. Suas notas florais, a entrada adocicada e os taninos aveludados no paladar são um complemento inigualável. Agora, quanto mais substancioso for o prato, mais vigoroso pode ser o vinho também.

vegetales-1

Outro componente a ser considerado, principalmente quando vamos harmonizar pratos vegetarianos com vinhos tintos bem robustos como o Terrunyo Cabernet Sauvignon 2017, é o quinto sabor. Mais conhecido como umami (que em japonês significa sabor delicioso), este sabor é proporcionado pelo ácido glutâmico presente naturalmente em alimentos como cogumelos, feijões, tomates secos e queijos muito maturados como o parmesão, e confere mais profundidade aos sabores do prato. Mas se não utilizamos nenhum desses ingredientes, outra opção é incorporar umami através de condimentos como o molho de soja, algas desidratadas, missô, melado, páprica ou merkén. Com eles, os pratos terão sabores mais intensos e poderão se equilibrar bem com um vinho de maior estrutura como o Gran Reserva Serie Riberas Syrah 2018. Você precisa de ideias? Wok de legumes salteados, tempeh grelhado com molho de soja, berinjela glaceada com missô ou guisado de legumes à toscana.

wok
Ph: The Spruce Eats

É importante considerar que alguns legumes verdes às vezes não dão um resultado muito saboroso quando são harmonizados com vinhos tintos. Pense na alcachofra, na couve-de-bruxelas, no pimentão verde ou no brócolis. Mas atenção, pois se eles não forem um ingrediente predominante na receita, não tem problema.

Uma técnica que ajuda muito a harmonizar legumes com vinhos tintos é se basear no tipo de cozimento. Neste caso, fazendo-os grelhados ou na churrasqueira. Os métodos de cozimento forte como estes conferem notas queimadas e defumadas, o que dará aos legumes a faculdade de serem harmonizados com vinhos mais estruturados como um suculento Gravas del Maipo Cabernet Sauvignon 2017.

vegetales-2

Como você pode ver, existem inúmeras opções quando o assunto é harmonizar pratos vegetarianos. O segredo é ousar!

Compartilhar

É maior de idade?

Sentimos muito,

Você não pode acessar o conteúdo do site se você não for maior de idade.