Concha y Toro

Francisca Jara 28/07/2021

Comida mexicana, um patrimônio da humanidade

Compartil

Devido a seu valor histórico e a sua inquestionável riqueza, a cozinha tradicional mexicana é uma das poucas gastronomias presentes praticamente no mundo todo. Longe do continente americano e além da Europa, sempre vai ter alguém servindo tacos. Principalmente agora, no século XXI, quando “a gastronomia mexicana está chegando a um ponto de amadurecimento alcançando finalmente sua própria e plena identidade, que retoma os elementos pré-hispânicos do respeito aos ingredientes e ao produto endêmico”, diz o diretor do Le Cordon Bleu Anáhuac, Luis Javier Álvarez Alfeirán, à revista Forbes

Reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade desde 2010 pela UNESCO, a cozinha mexicana é um elemento crucial na identidade dos mexicanos, entre outras cosas, pela elaboração colaborativa apoiada em elementos originários de sua terra, e que se expressa criativamente em cada uma de suas regiões desde antigamente. 

De sabores intensos, caracteristicamente picantes devido ao uso do chile (variedades de pimenta), destaca-se pelo uso de produtos típicos como o milho, o feijão, o jitomate (variedade de tomate vermelho), o camote (variedade de batata-doce), o abacate, o cacau e a abóbora –em pratos que também tiveram muita influência da cozinha espanhola–, além de especiarias como o urucum, o coentro, a canela e o hortelã.

A seguir apresentamos alguns dos pratos mais típicos da cozinha mexicana. Qual você vai escolher?

 

  • Cochinita Pibil

Ph: Instant Blog

Este prato típico da região de Yucatán, cujo nome é derivado da língua maia (onde “pib” significa “enterrado” ou “cozido sob a terra”), é à base de carne de porco temperada com urucum e embrulhada em folhas de bananeira. Ele é assado no forno e se caracteriza pelo tempero delicioso e pela cor vermelha conferida pelo urucum (um condimento que os astecas também utilizavam como corante natural), além de cebola, suco de laranja, alho, pimenta, cominho, canela e vinagre. Costuma-se acompanhar com tacos e feijão preto. Além da cor incrível, seu sabor inconfundível fazem dela um prato imperdível quando se trata de conhecer a gastronomia mexicana. Se você estiver viajando ou decidir se aventurar a preparar esta receita em casa, recomendamos servi-la com um vinho versátil como o Marques de Casa Concha Rosé. Devido às especiarias, à cebola e ao caráter picante do prato, é preciso um vinho de acidez equilibrada que realce os sabores e não seja coberto pelos sabores intensos.

 

  • Moles

Mais que um prato, os moles são molhos servidos para acompanhar carnes e se caracterizam pelo sabor intenso conferido pela mistura de diferentes chiles, especiarias aromáticas, sementes, frutos secos e, às vezes também, cacau. As maneiras de preparar os moles são muitas e dependerá do lugar de origem, de forma que se acredita que suas versões são inúmeras. No entanto, sempre são molhos complexos que requerem um vinho à altura. Para moles muito escuros, picantes e condimentados como o mole negro de Oaxaca, um vinho tinto robusto com sabores de frutas pretas como o Terrunyo Carmenere é um bom acompanhamento, enquanto que para um mole vermelho, um vinho com notas de frutas vermelhas como o Gravas del Maipo Syrah pode funcionar muito bem.

 

  • Tamales

Outro prato muito popular que é fácil de encontrar nas ruas do México são os tamales. Trata-se de uma massa de milho cozida, embrulhada na própria folha do milho ou em folha de bananeira, e que pode ser recheada com carne, mariscos, legumes ou frutas. Ou seja, seu sabor pode ser doce ou salgado. Apesar de serem preparados durante o ano todo, é muito popular comer tamales no dia 2 de fevereiro, no dia da Candelária. Independentemente do recheio, uma massa untuosa geralmente harmoniza muito bem com vinhos brancos com boa acidez e um pouco de corpo. É por isso que recomendamos prová-los com o Amelia Chardonnay, proveniente do vale de Limarí. Esta combinação poderia fazer mais sucesso ainda se você provasse com os tamales doces de abacaxi. 

 

  • Quesadillas com guacamole

Ph: Isabel eats

A quesadilla é outra das iguarias mexicanas que surgiu após a miscigenação com a cultura espanhola. Apesar de, em suas origens, estas tortillas de milho ou de farinha de trigo poderem ser recheadas com qualquer coisa, principalmente doce, hoje o ingrediente mais abundante dentro de uma quesadilla é o queijo grelhado. Geralmente são acompanhadas de molho, cebola ou do típico guacamole (mistura de abacate, tomate, cebola, coentro, chile verde e suco de limão-taiti). Como o queijo e o abacate são gordurosos, é recomendável saborear estas quesadillas com um vinho de acidez gostosa e com notas cítricas, capazes de suportar a intensidade dos sabores do coentro e da cebola. Assim, recomendamos o Casillero del Diablo Pinot Grigio

Vinhos Relacionados

20
20

Rosé Cinsault
Ver mais

20
19

Carmenere
Ver mais

20
19

Syrah / Shiraz
Ver mais

20
18

Chardonnay
Ver mais

20
20

Pinot Grigio
Ver mais