Concha y Toro

Francisca Jara 24/06/2021

Tudo sobre vinho

Tudo sobre os vinhos veganos

Compartil

Se o vinho é resultante do suco de uva fermentado por leveduras, por que falam de vinhos veganos? Por acaso o vinho contém produtos de origem animal? 

Os vinhos veganos são aqueles vinhos que as pessoas que seguem uma dieta vegana podem tomar. Caso você não conheça esta forma de alimentação e estilo de vida, saiba que ela consiste praticamente em uma forma de vida que procura excluir qualquer modo de exploração ou crueldade animal tanto para comer, se vestir ou para qualquer outra coisa. Por esta razão, essas pessoas não consomem carnes vermelhas e brancas, laticínios, ovos e mel, nem produtos testados em animais. Mas se o vinho é um produto resultante da fermentação do suco de uva, por que não é compatível com uma dieta vegana?

Apesar de os vinhos provirem das uvas, eles não são necessariamente veganos. Talvez para a sua surpresa, na elaboração vitivinícola podem ser utilizados produtos de origem animal, principalmente no final do processo, na clarificação. Atenção! Não quer dizer que esta seja a única maneira. De fato, na forma tradicional de fazer vinho (que respeita os ciclos naturais que, é claro, levam um tempo considerável), a clarificação ocorre espontaneamente quando, após a fermentação alcoólica, os resíduos sólidos caem no fundo do tanque ou barril. Devido a seu aspecto, estes vinhos que costumam ser classificados como “sem filtrar” são por sua vez veganos.

No entanto, com o desenvolvimento da indústria vitivinícola e da tecnologia, apareceram técnicas para a clarificação ou limpeza do vinho ser realizada de forma rápida. Como? Utilizando produtos como claras de ovos, caseína (proteína derivada do leite), gelatina (de cartilagem de peixe) ou ictiocola (procedente da bexiga de peixe), para eliminar sedimentos que não podem ser removidos só com a filtração. Após terem cumprido sua função, esses produtos são removidos, razão pela qual não são mencionados nos rótulos ou, ainda, simplesmente porque a regulamentação não exige. Outro elemento de origem animal bem menos utilizado é a cera de abelha para selar garrafas.

Quando dizemos que um vinho é vegano, significa que nenhum desses derivados de origem animal é utilizado. E apesar de não haver regulamentação sobre isso nos Estados Unidos e na Europa, existem certificações que atestam que um vinho é realmente vegano. Assim, os vinhos veganos podem passar pelo processo de clarificação natural (e ter o aspecto de um vinho não filtrado) ou ainda passarem por alternativas de origem vegetal ou mineral, como a carragenina (um componente extraído de algas vermelhas e utilizado na indústria alimentícia como aditivo), proteínas de batata, trigo ou ervilha, ou um pó de argila mais conhecido como bentonita.

O certo é que os vinhos veganos não são exclusivos para quem segue este tipo de dieta. Qualquer pessoa comprometida com o meio ambiente ou que tenha um estilo de vida mais consciente poderia preferir um vinho vegano. A boa notícia é que a Concha y Toro acaba de certificar mais de vinte rótulos com o selo internacional V-label, oferecendo uma ampla gama de variedades para serem degustadas. Entre eles, o Rosé Concha y Toro, o Terrunyo Carmenere e Sauvignon Blanc, o Amelia Chardonnay e Pinot Noir, o Marques de Casa Concha Merlot e o Gran Reserva Serie Riberas Carmenere

Agora você só precisa abrir uma garrafa e, melhor ainda, saboreá-la com um aperitivo ou cardápio à base de vegetais. Tem opções para todos os gostos!

Vinhos Relacionados

20
19

Rosé
Ver mais

20
18

Carmenere
Ver mais

20
19

Sauvignon blanc
Ver mais

20
18

Chardonnay
Ver mais

20
17

Pinot noir
Ver mais

20
17

Merlot
Ver mais